twitter
facebook
linkedin
rss
14 / jul 2017

MACRI: UMA NOVA LIDERANÇA REGIONAL

Mauricio Macri se torna líder em ascensão no exterior (Foto: Rodrigo Garrido/Reuters)

Ante as incertezas que tornaram o Brasil um país indefinido, o presidente Mauricio Macri cresce a cada dia, inobstante as greves e piquetes que enfrenta no plano interno.

O dirigente argentino assumiu a presidência do G20 na tumultuada reunião de Hamburgo, sendo festejado pelos participantes do evento, enquanto Temer foi conservado à margem das conversações, prestando-se somente a aparecer na fotografia oficial em posição de menor destaque.

A partir de sua posse, em 2015, Mauricio Macri recebeu governantes de peso, como Barack Obama, François Hollande, Justin Trudeau e Angela Merkel.

Político hábil, que mantém relacionamento comercial com Trump, bem antes de se tornarem presidentes, Macri esteve presente na posse de outros chefes de estado latino-americanos, como Pedro Pablo Kuczynski, no Peru, Juan Manuel Santos, na Colômbia, reunindo predicados que poderão levá-lo à liderança regional que vinha sendo ocupada pelo Brasil.

Foi ao Japão, China, Espanha e Holanda. Visitou o Papa Francisco, de quem foi desafeto no passado, por duas vezes. São frequentes os encontros mantidos com Michelle Bachelet (Chile), empenhado em promover a aproximação do Mercosul com a Aliança do Pacífico, em que pese o afastamento dos Estados Unidos desse organismo de reconhecida importância no comércio mundial.

Nos últimos meses, aproximou-se do presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, oferecendo-lhe sua intermediação junto a Trump, tanto em relação ao Nafta (Tratado de Livre Comércio da América do Norte), como no assentamento do questionado muro da fronteira.

Até agora, Macri não emitiu qualquer pronunciamento sobre a crise brasileira, embora não perca a oportunidade de censurar Nicolás Maduro. Foi protagonista de um incidente quando a chanceler venezuelana, Delcy Rodriguez, invadiu uma reunião de cúpula em Buenos Aires, para a qual não fora convidada.

A capital portenha, além de sediar a próxima reunião do G20 em 2018, neste ano realizará a 11ª Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Mauricio Macri cresce com a Argentina. O Brasil assiste ao aniquilamento de seu prestígio no exterior, correndo o risco de tornar-se, no futuro, mero participante de encontros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *