twitter
facebook
linkedin
rss
28 / nov 2019

A MORTE DE UM BRAVO

A advocacia brasileira está de luto. Morreu na última segunda-feira, 25, aos 83 anos, o ex-presidente da OAB, Eduardo Seabra Fagundes.

Seabra Fagundes passou à história da instituição como um crítico à ditadura militar no período em que exerceu o seu comando (1979-1981). Tornou-se um combativo opositor do regime de exceção, ganhando notoriedade por ocasião da trágica detonação que vitimou sua secretária, Lyda Monteiro da Silva, em 27 de agosto de 1980.

Naquela tarde, o sargento paraquedista, Magno Catarino da Mota, conhecido pelo codinome “Guarany”, foi portador de um embrulho entregue na sede da OAB, na avenida Marechal Câmara, que tinha como destinatário o presidente da Casa.

(mais…)

25 / nov 2019

O ITAMARATY DE CÓCORAS

A indicação de Nestor Foster para embaixador do Brasil nos Estados Unidos, se avaliada sob o prisma da conveniência, pouco difere da frustrada escolha de Eduardo Bolsonaro para o mesmo posto.     O fato de Foster, a esta altura, já ter sido aceito por Donald Trump não é bastante para credenciá-lo a ocupar a posição de maior relevo da diplomacia brasileira.

Desde que Foster tornou-se “reserva” de Eduardo, caso este não fosse chancelado pelo Senado, alguns fatos envolvendo o seu passado, certamente, voltarão à tona na sabatina a que será submetido na Câmara Alta.

Resta saber qual é o perfil do diplomata escolhido e como estão as relações entre o nosso país e a mais poderosa nação do mundo.

(mais…)

19 / nov 2019

QUE NÃO NOS FALTE PACIÊNCIA

Enquanto perdurar o clima de beligerância entre governo e oposição, o Brasil correrá o risco de se atolar num charco de profundeza irremediável. Não bastassem os temas explosivos envolvendo questões trabalhistas e previdenciárias, somadas à crise do desemprego e privatizações, temos agora o embate travado entre Lula e Bolsonaro, ambos com a obsessão de reaver um prestígio que se esfacela a cada dia.

O presidente não mede adjetivos nas respostas dadas ao seu detrator, repelindo a mordacidade lulista, tomado do propósito de não deixá-lo falar por último. Nenhum dos contendores propõe um debate útil para a crise atual. Só lhes interessa criar um ambiente de adversidade permanente, cada um procurando aniquilar o adversário, o quanto antes, mesmo valendo-se dos meios mais condenáveis.

A opinião do ofensor haverá de superar a do ofendido. Não mediante um raciocínio lógico e convincente, mas sim na troca de farpas, pouco importando os males que possam advir dessa contenda.

(mais…)

11 / nov 2019

AS DESCULPAS QUE NÃO CONVENCERAM

O presidente Jair Bolsonaro adotou como forma de se redimir dos seus destemperos o pedido de desculpa. Trata-se de um pretexto tornado frequente, seja quando ele próprio verbera seus desafetos; seja quando o disparate emerge de seus audaciosos filhos.

Foi o que sucedeu por ocasião de sua passagem pela Arábia Saudita, em que apareceu num vídeo como um leão acuado pelas hienas do STF, OAB, CNBB e alguns órgãos de comunicação, que não comungam de seus rompantes e nem se identificam com a sua maneira de governar.

O mesmo ocorreu quando o filho, deputado e líder do governo, Eduardo Bolsonaro, cogitou da possibilidade de reimplantação do famigerado AI-5.

(mais…)

04 / nov 2019

IDENTIDADE QUE COMPROMETE A DIPLOMACIA BRASILEIRA

(Foto: Kevin Lamarque/Reuters)

No curso de sua viagem ao Oriente Médio, o presidente Jair Bolsonaro valeu-se dos encontros que deveria manter com as autoridades locais para defender-se da situação difícil que atravessa, tanto no âmbito político como econômico, antes de completar um ano de seu mandato.

O seus pronunciamentos primaram por ataques aos supostos opositores, que reputa como sendo os grandes entraves na consecução dos resultados prometidos ao povo brasileiro na fase eleitoral. A esta altura, a reforma da Previdência deixou de ser o mote de suas falas internas, eivadas de propósitos eleitoreiros que condicionam a sua reeleição em 2022.

Através do Twitter, Bolsonaro comparou-se a um leão acossado por hienas em meio à vitória das esquerdas na América Latina. A divulgação do vídeo se deu quando ingressava numa limousine em Riad, capital da Arábia Saudita, para um jantar com o príncipe herdeiro.

(mais…)

29 / out 2019

O IMPOSTOR DA CASA BRANCA

A aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos de uma ajuda militar de US$ 391 milhões a Ucrânia, guarda estreita ligação com a coação que Donald Trump exerce sobre o presidente Volodymyr Zelenski, compelindo-o a investigar Hunter Biden, que mantém negócios naquele país.

O sindicado é filho de Joe Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama e reúne possibilidade de ser o candidato democrata nas eleições presidenciais de 2020.

Como bem observou o “The Economist”, quanto à irrelevância desse fato, basta rever o que houve no passado envolvendo presidentes que responderam a processo de impeachment.

(mais…)

21 / out 2019

A CONVICÇÃO DA JOVEM SUECA

O recado que Greta Thunberg transmitiu durante a cúpula do Clima, teve maior repercussão do que a fala do presidente Jair Bolsonaro no dia seguinte à sessão inaugural da Assembleia Geral da ONU.

Em se tratando de nome sumamente conhecido no ativismo ambiental, a sua assertiva, fundada em dados científicos, de que o aquecimento global causado pela atividade humana está destruindo a Terra, produziu impacto junto aos governantes de todo o mundo.

No painel dos cientistas reunidos na ONU, o mundo tem pouco mais de uma década para reduzir 45% das emissões de gases de efeito estufa e evitar o aumento de temperatura médio no Planeta superior a 1,5º grau Celsius.

(mais…)

17 / out 2019

O PREÇO DE UMA CONVIVÊNCIA

Em face das derrotas que o Congresso lhe impingiu, o presidente Jair Bolsonaro resolveu desfazer-se de sua promessa eleitoral que pregava o fim do loteamento de cargos, como sendo uma das formas de combate à corrupção.

Agora, induzido pelos ministros da área política, convenceu-se da necessidade de premiar os partidos que lhe dão sustentação, desde que lhe sejam comprovadamente leais.

O apoio dos parlamentares depende das circunstâncias que provocam alterações no quadro político. Daí a necessidade de votos seguros, que possam assegurar a aprovação dos projetos vindos do Planalto, concorrendo para a estabilidade do governo.

(mais…)

07 / out 2019

UMA QUASE TRAGÉDIA NO STF

Rodrigo Janot esteve à frente da PGR de 2013 a 2017 (Foto: Sergio Lima/Poder360)

A semana que passou foi pródiga em fatos de repercussão nacional, que primaram pela extravagância e audácia de seus atores. A revelação macabra do ex-procurador-Geral, Rodrigo Janot, em razão dos seus pormenores, nos leva a questionar a sua sanidade mental durante o tempo em que esteve à frente da PGR (2013/2017).

Em maio de 2017, o país foi sacudido pela notícia da existência de uma gravação feita por Joesley Batista, que comprometia o presidente Michel Temer. Segundo aquela prova, Temer teria abonado a compra do silêncio de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro.

A repercussão do fato foi de tal ordem que afetou a aprovação da reforma da Previdência, que já estava em fase adiantada. Assim, tão logo conhecido o conteúdo da gravação, nenhum dado concreto foi encontrado que confirmasse a atoarda de Rodrigo Janot.

(mais…)

01 / out 2019

A DEFESA DO FUNDAMENTALISMO

A fala do presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU só surpreendeu aqueles que não acompanham as suas bravatas, fosse antes como depois de sua posse. Guarda, pois, flagrante coerência com a sua maneira de ser, que ele pretende conservar, esquecido de que se encontra hoje no cume de uma Nação que deve satisfações à opinião pública mundial.

Somente saíram frustrados os que supunham que Bolsonaro proferisse uma oração conciliadora e fosse capaz de estender a mão aos que divergem de sua postura arrogante.

Falando aos jornalistas, quando já se encontrava no hotel, avaliou o seu pronunciamento, sustentando: “Tínhamos que ser contundentes, mas não agressivos”. Mas não foi isso que o mundo viu e ouviu. Ao invés de mostrar que o seu governo estaria voltado para as grandes causas, optou pelo ataque sistemático à mídia internacional, reincidindo na crítica ao socialismo, além de renitir na sua obstinada censura às ditaduras de Cuba e Venezuela.

(mais…)